top of page

“Fórum dos Fóruns” reúne Povos e Comunidades Tradicionais para formação de aliança em defesa da Mata Atlântica

Encontro Nacional dos Fóruns dos Povos e Comunidades Tradicionais ocorre entre 03 e 07 de junho na cidade de Registro (SP), no Vale do Ribeira.



De 03 a 07 de junho, a cidade de Registro (SP), no Vale do Ribeira, recebe o Encontro Nacional dos Fóruns dos Povos e Comunidades Tradicionais. A atividade é organizada conjuntamente pelo Fórum de Povos e Comunidades Tradicionais do Vale do Ribeira, Fórum de Comunidades Tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba, Fórum de Comunidades Tradicionais de Sergipe e Fórum dos Pescadores em Defesa da Baía de Sepetiba, que devem aproveitar a ocasião para anunciar o lançamento de uma rede conjunta em defesa dos territórios tradicionais da Mata Atlântica.

 

“Esse encontro vai ser incrível porque vai juntar diferentes fóruns e diferentes lideranças que vêm articulando e construindo mobilização em defesa dos territórios para construírem juntos uma grande aliança entre os povos e comunidades tradicionais na defesa da Mata Atlântica. Nós seremos anfitriões e anfitriãs aqui no Vale do Ribeira e receberemos nossos parentes vindos de vários outros lugares, assim como nossos parceiros e apoiadores”, diz Adriana Lima, integrante do Fórum dos Povos e Comunidades Tradicionais do Vale do Ribeira e da Coordenação Nacional de Comunidades Tradicionais Caiçaras. 

 

Organizado em parceria com  o Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (Fiocruz), do Projeto Endure (FAPESP - DPCT-IG/UNICAMP), do SESC SP, da Universidade Estadual Paulista (Unesp), e com o apoio do Programa de Educação Ambiental para Comunidades Costeiras (PEAC) e do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade o Encontro inclui momentos de auto-organização fechados para representantes de povos e comunidades tradicionais e atividades abertas ao público.

 

Os momentos fechados ocorrem de 03 a 05 de junho em três comunidades tradicionais do Vale do Ribeira, que receberão oficinas para tratar do licenciamento das roças tradicionais, do automonitoramento da rede boieira da pesca artesanal e do Projeto Povos de caracterização de territórios tradicionais. Já a parte aberta ao público ocorre de 06 a 07 de junho no SESC Registro (Avenida Prefeito Jonas Banks Leite, 57, Centro).


Entre as atividades previstas, estão diálogos para a construção de estratégias conjuntas

para a regularização fundiária dos territórios tradicionais e a articulação de

uma plataforma de incidência internacional de Povos e Comunidades Tradicionais

visando ao Encontro Internacional de Territórios e Saberes (EITS), que ocorre

em setembro em Paraty, e à Convenção do Clima da ONU (COP 30), que ocorre em

Belém em 2025.


A plenária final contará com a participação de diversos parceiros institucionais dos movimentos sociais, bem como de representantes do Governo Federal e do Estado de São Paulo. Neste momento, será anunciada a criação da Aliança dos Povos e Comunidades Tradicionais em Defesa da Mata Atlântica, articulada entre os fóruns que organizam o encontro, como forma de ampliar a visibilidade e a capacidade de incidência para a proteção deste bioma, ancestralmente manejado pelos Povos e Comunidades Tradicionais que o habitam.


“O Encontro será um momento histórico importante para a organização e mobilização de nossos Fóruns, e a participação de parceiros e aliados de nossa luta é fundamental para que nossa mensagem encontre eco nas instituições responsáveis por garantir direitos e formular políticas públicas que incidem sobre os territórios”, completa Vagner do Nascimento, integrante da coordenação do Fórum de Comunidades Tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba (FCT) e coordenador geral do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina. 


***

88 visualizações0 comentário

Opmerkingen


bottom of page