top of page

Projeto avança em articulações entre Saúde Mental e comunidades tradicionais na resposta à pandemia

Idealizada pela Fiocruz e pelo Fórum de Comunidades Tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba, iniciativa foi contemplada pelo programa Inova por meio do edital Territórios Sustentáveis e Saudáveis e contou com a parceria do Núcleo de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas (NUSMAD) da Fiocruz Brasília.



Durante a pandemia de COVID-19, um de nossos maiores desafios foi conseguir alinhar cuidados com a saúde mental frente aos inúmeros desafios impostos pelo momento. No contexto dos povos e comunidades tradicionais, isso não foi diferente e promover ações de saúde mental tornou-se mais uma ferramenta de luta e preservação da vida. Nesse cenário, nasceu uma iniciativa chamada "Intervenções territoriais e comunitárias em saúde mental", projeto realizado pelo OTSS para implantar ações ligadas à área da saúde mental em territórios tradicionais da Bacia do Carapitanga, em Paraty (RJ).


A iniciativa foi contemplada pelo edital "Inova Território" e realizada em parceria com o Núcleo de Saúde Mental, Álcool e Outras Drogas (NUSMAD) da Fiocruz Brasília. "O projeto surge por meio de diálogos que começaram em 2016, em que essas questões de saúde mental já eram sinalizadas como uma demanda importante para o Fórum de Comunidades Tradicionais", explica Helena Fonseca, uma das pesquisadoras à frente da iniciativa.


Segundo ela, o projeto realizou ações comunitárias e territorializadas em saúde mental junto com os residentes do programa de Residência Multiprofissional de Saúde Mental, Álcool e outras drogas da Fiocruz Brasília, em busca de desenvolver tecnologias de cuidado e atenção psicossocial que considerassem as especificidades da região.


Intercâmbio entre Brasília e a Bocaina


"Nosso núcleo possui esse programa de residência em saúde mental e achamos que seria uma oportunidade interessante de trazer os residentes e contribuir para que essas invenções aconteçam. Trata-se da primeira residência em saúde mental da Fiocruz. E essa parceria com o OTSS foi fundamental porque podemos levar nossos profissionais para uma formação na Bocaina e trabalhar essa questão da cultura e da sustentabilidade", completa André Guerreiro, coordenador do Nusmad da Fiocruz Brasília.


O que é uma residência em saúde mental?


"A residência é uma formação que se faz depois da graduação, os profissionais podem fazer esse tipo de especialização, que é estudar o que chamamos de aprendizado em ato. Estudar na prática, também recebendo informações teóricas, mas a maior parte da carga horária dessa formação se dá no campo de prática em que o tema daquela especialização é trabalhado. Na saúde mental, o serviço estratégico é o CAPS. A residência de saúde mental que estamos trabalhando é a primeira da Fiocruz, é interdisciplinar, ou seja, têm profissionais de diversas profissões", conta Gabi Barreiros, socióloga, sanitarista e especialista em atenção comunitária para área de saúde mental, álcool e outras drogas da Fiocruz Brasília.

Para assistir ao vídeo que resume os principais resultados do projeto, clique aqui.


Para saber mais, acesse:


https://portal.fiocruz.br/programa/programa-institucional-de-territorios-sustentaveis-e-saudaveis


https://portal.fiocruz.br/edital-territorios-sustentaveis-e-saudaveis




49 visualizações0 comentário
bottom of page