top of page

Rede de Formação Socioambiental do Projeto Redes inicia curso de Educação Diferenciada

Ao todo, serão oito cursos a serem realizados até 2025 com temas indicados por comunidades tradicionais e pesqueiras abrangidas pelo Projeto Redes no litoral sul do Rio de Janeiro e litoral norte de São Paulo.


Primeiro dia de aula ocorreu neste dia 03/05, sexta-feira, em Trindade (Paraty - RJ).


Fruto de uma parceria com o Programa Escolas do Território, do Instituto de Educação de Angra dos Reis da Universidade Federal Fluminense (IEAR/UFF), o Curso de Educação Diferenciada nos Territórios é o primeiro dos oito cursos a serem oferecidos a partir deste ano pela Rede de Formação Socioambiental (RFS) do Projeto Redes (novo nome do PEA Costa Verde). A iniciativa abrange Mangaratiba, Angra dos Reis e Paraty, no litoral sul do Rio de Janeiro, e Ubatuba, Caraguatatuba, São Sebastião e Ilhabela, no litoral norte de São Paulo.


A metodologia adotada é a Pedagogia da Alternância, que divide o programa educativo em Tempos Escola e Tempos Comunidade. Nos Tempos Escola, os participantes são introduzidos aos conceitos teóricos através de módulos que abordam tanto o Licenciamento Ambiental quanto os temas específicos de cada curso. Já nos Tempos Comunidade, o foco se volta para a aplicação prática dos conhecimentos adquiridos, promovendo a integração das lições aprendidas com a realidade vivida pelas comunidades.


“Abordaremos temas como o contexto histórico e as dimensões técnicas do licenciamento ambiental e a exploração de petróleo e gás na Bacia de Santos, Direitos à Educação Diferenciada previstos na legislação, Histórico da Educação Diferenciada nos territórios, Estrutura e funcionamento das Secretarias de Educação e metodologias de construção de currículos diferenciados, e experiências da metodologia sendo vivenciadas por comunidades tradicionais brasileiras”, informa Domingos Nobre, Coordenador Pedagógico do Programa Escolas do Território.

 

O Projeto Redes (novo nome do PEA Costa Verde) é uma condicionante imposta pelo licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, da atividade de exploração de petróleo e gás natural na Bacia de Santos, sendo realizado no litoral norte de São Paulo e no litoral sul do Rio de Janeiro. Seu principal objetivo é fortalecer, por meio de processos formativos, a organização social, política e econômica de comunidades tradicionais e pesqueiras de forma a contribuir para sua participação ativa na gestão socioambiental e para sua permanência nos territórios onde vivem.


A fase 2 do projeto é fruto de uma parceria com a Fiotec/Fiocruz por meio do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS), do Fórum de Comunidades Tradicionais (FCT), da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp).


Agenda do Curso de Educação Diferenciada nos Territórios

 

Tempo Escola 1


Maio


03/05: Trindade, em Paraty;

04/05: Quilombo do Bracui, em Angra dos Reis;

10/05: Junqueira, em Mangaratiba;

 

Tempo Escola 2


Junho


13/06: Angra dos Reis (UFF/IEAR);

14/06: Angra dos Reis (UFF/IEAR).

 

Tempo Comunidade


07/06: Em formato de Partilha.

 

Além disso, serão organizados dois encontros de Núcleos de Acompanhamento, com datas, locais e temas a serem definidos com a participação ativa de cursistas, como forma de protagonizarem os encaminhamentos e continuidade da Educação Diferenciada em seus territórios tradicionais. Ao todo, o curso reúne 25 lideranças comunitárias e seis educadores mobilizadores do Projeto Redes (também lideranças comunitárias).


Para saber mais sobre o Projeto Redes, clique aqui.


61 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page