Projeto Redes lança Rede de Formação Socioambiental para comunidades tradicionais de RJ e SP

Dedicado a 111 comunidades tradicionais que praticam a pesca artesanal de Mangaratiba (RJ) à Ilhabela (SP), Projeto Redes se prepara para o primeiro curso de sua Rede de Formação Socioambiental.



No dia 23 de junho, o Projeto Redes deu um novo passo na consolidação desta segunda fase: o lançamento da Rede de Formação Socioambiental, processo consultivo e colaborativo que contou com educadores populares, pesquisadores e lideranças comunitárias, além de representantes das instituições parceiras nesta fase.


Prestes a iniciar o primeiro curso da Rede de Formação, os educadores, parceiros institucionais e lideranças escolheram o nome desta primeira formação. Em um exercício de "batismo", o nome escolhido pelo coletivo foi Maré de Saberes, uma alusão aos aprendizados e ciclos que a natureza marítima possibilita aos que navegam com respeito nas culturas do mar.


O curso Maré de Saberes terá início em setembro e será composto por oito encontros formativos, onde o participante terá conhecimento do histórico das lutas e movimentos populares defensores do território, da pesca artesanal, os conflitos políticos e o racismo ambiental sofrido pelas comunidades tradicionais, em especial, as caiçaras.


Entendendo a Rede


Durante o lançamento da Rede de Formação Socioambiental, foi exibido videodocumentário no qual são abordadas a importância desta segunda fase e as principais ações realizadas em 2021. Confira:



Além disso, é possível ouvir a série de podcasts “Vozes do Território” com episódios que contam, em detalhe, como vai funcionar a Rede de Formação e o curso Maré de Saberes. Para ouvir, clique aqui.


O Projeto Redes é fruto de uma parceria com a Fiotec/Fiocruz por meio do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS), do Fórum de Comunidades Tradicionais (FCT), da Universidade Federal Fluminense (UFF) e da Universidade Estadual Paulista (Unesp). Resultado de uma condicionante exigida à Petrobras pelo licenciamento ambiental federal, conduzido pelo Ibama, o Projeto Redes é uma política pública conquistada por comunidades tradicionais pesqueiras impactadas por empreendimentos de petróleo e gás natural no litoral norte de São Paulo e no litoral sul do Rio de Janeiro.


***



0 visualização0 comentário