• Comunicação OTSS

Tenda da Educação Diferenciada integra a programação da Ocupa Flip 2019

Atualizado: 9 de Jul de 2019

Proposta pelo Coletivo de Apoio à Educação Diferenciada, atividade ocorre no dia 13 de julho durante o Festival Literário Internacional de Paraty (FLIP)

Para iluminar as conquistas e reivindicações das comunidades indígenas, caiçaras e quilombolas de Paraty em relação à educação, a Ocupa Flip 2019 irá receber a Tenda da Educação Diferenciada. O espaço receberá no dia 13 de julho, das 9h30 às 12h, professores, estudantes e lideranças comunitárias para discutir a relação entre educação e literatura e diversidade cultural


Organizada no espaço montado pelo Coletivo SOMAR Economia Solidária, a atividade é uma proposta do Coletivo de Apoio à Educação Diferenciada de Paraty, que reúne integrantes do Fórum de Comunidades Tradicionais de Angra dos Reis, Paraty e Ubatuba (FCT), do Observatório de Territórios Sustentáveis e Saudáveis da Bocaina (OTSS), do Instituto de Educação de Angra dos Reis da Universidade Federal Fluminense (IEAR/UFF), do Colégio Pedro Segundo (CPII) e da Secretaria Municipal de Educação de Paraty (SME).


“A educação diferenciada é uma pauta crescente nas comunidades porque já existe o senso comum de que uma escola sem contexto é tão ruim quanto a falta da escola. Só a educação diferenciada pode reforçar a luta política das comunidades, a identidade cultural e a consciência coletiva pela defesa dos territórios e dos modos de vida tradicionais”, destaca Ronaldo dos Santos, quilombola do Campinho que integra o Coletivo de Apoio à Educação Diferenciada de Paraty.


Programação

A partir das 9h30, crianças e jovens poderão participar da confecção do painel “Diverso e coletivo”, que utilizará a leitura como ponto de partida para a criação de um painel coletivo que trabalhará o auto-reconhecimento da identidade cultural de cada participante.


Em seguida, a tenda receberá a mesa redonda "Literatura e Diversidade - Constituindo singularidades, identidades e coletividades", cujo objetivo é abordar a importância da literatura infantil no processo de constituição de identidades e respeito à diversidade. A mesa será mediada pelo Prof. Dr. Domingos Nobre, coordenador do Programa Escolas do Território e pesquisador do Instituto de Educação de Angra dos Reis (IEAR/UFF). Também participam Roberta Asse, autora da série de livros “Coleção das crianças daqui”; Ana Claudia Campuzano Martinez, coordenadora de Língua Portuguesa do Colégio Pedro II – Campus Humaitá I; Fabiana Ramos, quilombola do Bracui, participante do Núcleo Jovem do FCT; e a professora Iaci Sagnori, formada pela UFRJ, professora da rede municipal de Paraty, atuando no 2o Segmento das Escolas do Sono e Pouso. Atualmente trabalhando com os alunos o projeto "Uma outra história de Paraty".


Na parte da tarde, estudantes das escolas do Sono, do Pouso e Campinho, e os parceiros da Educação Diferenciada irão se somar às atividades da Casa Povos, localizada no OTSS, onde serão lançados livros das crianças do Pouso da Cajaíba e da Praia do Sono fruto do projeto “Uma outra história de Paraty”. Os livros foram escritos por meio de entrevistas com moradores para entender a história do local. Além disso, contam as história da comunidade, fazendo um paralelo com Os Sertões de Euclides da Cunha, e são chamados: O Sono, Caiçara e a Luta e O Pouso, Caiçara e a Luta


Consolidando a luta pela Educação Diferenciada

A importância estratégica da educação escolar diferenciada fica evidente para o Fórum de Comunidades Tradicionais (FCT) na medida em que se reconhecem duas grandes exclusões que ameaçam profundamente a sobrevivência dos modos tradicionais de vida dessas comunidades. Uma primeira exclusão, mais urgente, é a simples impossibilidade de acesso à educação escolar, vivenciada por muitas comunidades que não têm acesso nem mesmo ao ensino fundamental completo (1º ao 9º ano). Uma segunda exclusão, mais profunda, é a negação dos saberes e valores tradicionais pelo modelo político-pedagógico das escolas acessíveis a algumas dessas comunidades.


Para saber mais sobre a atuação do OTSS na área de educação diferenciada, clique aqui.


Para saber mais sobre a Casa dos Povos, que também integra a programação da FLIP 2019, clique aqui.


Leia também

Casa dos Povos reunirá comunidades tradicionais de 6 países durante a FLIP


Encontro internacional reúne comunidades tradicionais para debater Agenda 2030 da ONU


Projeto Povos revelará situação de 64 comunidades tradicionais de RJ e SP


Flip Preta acontece pela primeira vez em julho no Quilombo do Campinho

OTSS
Fiocruz OTSS
Fórum de Comumidades Tradicionais

OTSS Bocaina © 2018

55 24 998772176 - Rua Araponga - nº 502, (antigo: Rua Colibri - nº 16), Gleba 01, Lt 16-A, Caborê - Paraty - Rj - Brasil - Cep: 23970-000